sábado, 10 de setembro de 2016

Ah, quem dera eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atirá-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças.
Paulo Coelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário